Susto e arroz, 235

Susto e arroz

Bom ou não, para que serve um susto

Se não ajuda também não atrapalha

Mas onde e como o susto pode ser justo

Onde menos esperamos e onde se trabalha

 

Do nada aparece uma situação

Preparado estava e tudo havia estudado

O evento no entanto vem como demonstração

Sempre existe um efeito inesperado

 

Como num experimento os ingredientes colocamos

A esperar o sucesso mesmo contando com o fracasso

Eis que o susto invade o laboratório em que estamos

O mestre nos fita percebendo a desdita, ajustando o traço

 

O sentido do susto é benéfico quase sempre

Só não ajuda quando vem pelas costas

Quando assim acontece poder ter paciência, estofo no ventre

O infortúnio chegou, peça ajuda a Deus, não é uma aposta

 

Na luta diária certo susto sim assusta

Oração é remédio sempre antes, durante e depois

Certeza ajuda vem do alto, do lado, de onde se busca

Deus não esquecerá de ti, mas esteja a ele ligado como o hábito de comer arroz.

Todo santo dia.

Quinto Zili

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s