Jô Soares

José Eugênio Soares

Que politicamente correto nada
Ria do próprio peso tamanho
Gordo feliz de bem com a vida
Fez de todos nós seu rebanho

Não segui-lo seria impossível
Aguardar seu beijo de sempre
Dos espíritos entre nós foi incrível
Paria na fala como se fora um ventre

Simples e complexo
Sagaz e doce
Alma côncava, corpo convexo
Jô seria quem, se José não fosse

Ele foi, e é, da graça o gênio
Elevava no riso, todos aos ares
Pouco conhecido no nome Eugênio
Jô desfilou elegante nessa vida Soares

Eder Ziliotto
05/agosto/2022

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s