Vagas, 201

Vagas

Não temos vagas para santo

O anúncio estava na porta do céu

Virou-se o ateu com cara de espanto

Estou na porta errada, mundo cruel

 

Quis chamar alguém acima

Mas não iria blasfemar como bom ateu

Sentiu um certo clima

Que alguém lhe ouvia, mesmo assim não creu

 

Não queria ser santo, só queria entrar

Mas porque o aviso justo a ele estranho

Abriu-se a porta e de puro espanto

Havia muitos amigos e nenhum santo

 

Amigos do bem a quem sempre respeitou

Parentes queridos, olhares generosos

Gente que o respeitava, a quem sempre cuidou

Mas nem o tal ser supremo,  nem santos famosos

 

Todo bem que fez  em vida o lado de lá já percebia

Sem saber porque mas sempre  fez com amor

De repente tudo parou e a todos uma luz invadia

Ser superior surgiu trouxe a todos uma flor

 

O amigo recebeu uma especial das mãos daquele senhor

Nosso Pai te mandou receber a entrar e te dar este presente

Foste um filho exemplar e cuidou de muita dor

Ele viu lhe falavam de Deus, mesmo que foi irreverente

Quinto Zili

Sábios

 

71

Sábios

 

Mentes e mentalidades, saber, sabedoria e sábios. Assim nos definimos e nos julgamos. Pesamos quem conhece mais, quem sabe menos.

Quando um homem completo, ser celestial e crístico esteve entre nós o colocamos na balança e por não encontrarmos medidas de nossa aquilatação o destruímos na carne sem entender o que era o espírito. Ou pelo menos boa parte da sociedade à época agiu assim. Éramos nós mesmos, hoje sabemos, e estávamos simplesmente testemunhando a ignorância e a infantilidade de nossos seres.

Ali, naquele corpo residiu a persona completa, sábio, toda a luz e o peso de puro amor que nenhuma balança teria condição de medir. Ali morou o espírito de máxima fé, santo, o filho de Deus mais elevado, nosso irmão maior.

A nossa mentalidade era triste e fria a julgar por aparência e pelo não entendimento. Qualquer semelhança com os dias de hoje é mais triste ainda e só a misericórdia divina pode explicar porque somos assim e como ainda estamos aqui.

Quinto Zili