Mãe querida, 83

Mãe querida

Quantas vezes depois de sua partida chorei de saudade.

Da falta do seu carinho e de sua bondade.

Como era tranquilo todo o meu dia.

Pois sabia que ao chegar em casa, sua acolhida sempre teria.

Seu beijo, sua benção, suas mãos macias e quentes me tocando o rosto.

Me dizendo sempre palavras de bom gosto.

Queria mãe, voltar no tempo.

Bem criança me lembro, as dorzinhas de barriga que às vezes eram só medos que você pacientemente me ajudava e fazia a enfrentar com um toque, sempre que  me benzia.

Bastava um gemido e seu olhar me acalmava.

No frio seu calor é que me acalentava.

Papai impunha e você encobria.

Mas também era dura porém sempre com brandura.

A coisa melhor da vida, é lembrar da mãe querida.

Não acredito que um ser possa ser indiferente.

Não crer na magia que isso carrega em nossa mente.

Te amo minha mãe e que todas como você e tua fé, sejam abençoadas por Maria de Nazaré.

Quinto Zili

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s