Tudo ll, 405

Tudo II

Ainda que nada falte

Mesmo que de nada se esqueça

A vida cá neste planeta

Pode só passar de leve esmalte

 

Vida plena material

Pouco fala da moral

De que vale ter-se tudo nela

Falo daquilo que não é querela

 

Digo do ser não de carne

Sem a veste após desencarne

Tudo que parecia ser alguém

Mal cai em si ao ver-se no além

 

Num átimo tudo vira nada

O vazio se expande

Pode parecer só um buraco fundo

E se ver de repente um pobre imundo

 

Todo mundo é igual

Tudo e todos ao natural

A desigualdade que se vê na vida material

Se revela outra e se nivela na vida espiritual

Quinto Zili

 

 

 

Tempo e amor, 4

Tempo e amor.

Dois campos da vida.

Um existente em abundância e o outro só existe em nós quando queremos que ele exista.

Tempo e amor convivem conosco mas só se quisermos.  Um faz e o outro leva. Um fica só se o outro deixar.

Não nos falta nenhum, mas um só existe se o outro permitir.

O amor pode levar todo o tempo do mundo para dominar nossas existências e o tempo sem amor é como faltar o ar para respirar.

Mas por assim acontecer só sobreviverá nosso espírito que acordará para a luz quando o tempo chegar e o amor deixar.

Quinto Zili