Pontes, 240

Pontes

Na idade que avança

Almejado descanso

Vida ao fim alcança

Último passo no avanço

 

A ponte existe

Não se vê e lá está

Só não passa quem insiste

Não acreditar no lado de cá

 

Do outro lado da ponte

É igual ao lado de cá

Não há susto ao que se defronte

Quem entende o que há do lado de lá

 

Uma coisa só a esperar

Um só mundo a existir

Mas sobra tanta ilusão aspirar

Que dá medo então o porvir

 

Nem precisava tal ponte existir

Bastava entender que a vida continua

Se queres ter certeza, com roupa podes vir

Não se iluda irmão, aqui também tem rua

Quinto Zili

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s