Secas, 238

Secas

Amargas águas das secas

Mal refrescam a alma quente

Que mostram meu solo em gretas

Abertas em sulcos do meu ventre

 

O céu é tão azul e lindo olhar

O solo tão feio, só tristeza

Água parou de cair, escoar

Poeira é mato, secura avareza

 

Para tudo mudar nem chorar resolve

Aqui é catinga, aqui é sofrência

Não tem despertar, nem Tatu se move

Vida parada, acabou a existência

 

Meus Deus onde está, por misericórdia

Sou seu filho também, calango sofrido

Até o choro secou, viola sem corda

Meu cerrado virou deserto, enfeiou o colorido

 

Minha Nossa Senhora

Faz chorar aí o céu por amor

Só assim essa seca vai embora

Refrescar um pouco esse enorme calor

Quinto Zili

 

Alternativas, 147

Alternativas

Claras luzes de uma manhã

Buscam brechas para o seu surgir

Espelhos d’água a refletir

Trazem a abertura de um novo amanhã

 

Caixa prego ou por aqui

Fontes novas precisamos ter

Hoje faltam noutro ser

Noutro dia faltam a ti

 

Se me farto de alegria

Outro alguém pode sofrer

Compaixão devo aprender

Cuidar de alguém a todo dia

 

Busquemos outras novas vias

Achemos novos caminhos

Como a luz acha os ninhos

Criemos mais alternativas

 

Pode ser com alegria ou dor

Desde que se ache a solução

Só não pode ser em vão

Porque há de ser só pelo amor

Quinto Zili

 

 

 

 

 

 

Importante, 143

Importante

Caminhar constante e sempre de dia

A noite foi feita pra descansar

Volitar pode ser opção, boa guia

Mas é para poucos no entanto alcançar

 

Ser simples e fiel no íntimo ser

Moda vem nos trazer muita sofisticação

É prudente olhar mais o seu do que o meu

Inveja mostra por traz muita complicação

 

Se te importa muito com tua aparência

Vasculha o baú do passado distante

Foste demente e pedinte sem importância

Hoje pareces dândi, belo infante

 

Não é importante como o outro lhe vê

Vale na vida como tu te apresentas

Cartão de visita da aura se lê

Verdade maior, não é a que aparenta

 

Focas então o teu cerne importante

Alivias o peso da madorra aos seus

Contamos num dedo o mandamento relevante

Amar teu próximo como amas a Deus

Quinto Zili