Preguiça

 

Quebrado o encanto da estrada

Da realização frustrada

Da não plenitude na vida

Sem desejo e a vontade carcomida

 

Preguiça nem fala dela mesma

Se evita a si própria

É estorvo da conquista

Das coisas e do mais à vista

 

Meramente voluntária

Altamente destrutiva

Aquele que a abraça

Sorve o suco da traça

 

Triste e completa

Experiência amarga

Ter preguiça é não avançar

Na areia movediça afundar

 

Fugir dela é ter vontade de fogo

Usar o medo para dela correr

De ser pleno de novo

De resgatar a vida no gozo do ser

Q.Z.

403

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s