Pendor

Certos traços
Da nossa alma imperfeita
Mais parecem laços
De velha trama refeita
 
Como os vícios
E as más tendências
Donde vem tantos resquícios
Nos impregnam tantas latências
 
O pendor de cada um
Ou mesmo os vários
Tem real explicação comum
Livre arbítrio dos reencarnacionários


1369

Liberdade

Portas abertas
Deixaram flancos no passado
Como o ser questionado
Julgar das mazelas encobertas
 
Transparece aqui nosso ser
O carvão virou cristal
Alma virou espírito como tal
Aflora o eu do agora ver
 
Descoberta a verdadeira vida
Que não se via simplesmente
Os destroços da alma recolhida
 
Liberdade antes que tardia
Que aprisionou o renitente
Agora a consciência que o alivia
 
A.Q.


651