O Bom Conselho

Veio ao meu encontro

Se fez presente

Um tanto insistente

Mas eu não estava pronto

 

Por mim mesmo talvez

Me impediam o orgulho e a vaidade

Ainda não enxergava a verdade

Não o ouvia e não lhe dava a vez

 

E o Bom Conselho não desistia

Insistia

Quase todo dia

Porque eu  fingisse que ele não existia

 

E então aconteceu

O Bom Conselho desapareceu

Eu não entendi mais nada

Pensei; assim é a quem Deus desagrada

 

Nada disso porém

Na verdade fui eu que morri

Fechei um dia os olhos e não mais abri

Só acordei muito tempo depois no além

 

Vaguei, vaguei e vaguei

E quando acordei havia só escuridão

Rezei, rezei e então implorei

Gritei com todas as forças do meu pulmão

 

Senti por fim alguém se aproximar

Tocou minha face chorosa e sofrida

Abriu meus olhos para que pudesse enxergar

Estava ali o Bom Conselho, de novo a me mostrar a vida

Quinto Zili

1180

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s