Nossos pais

Nossos pais

Meus queridos grandes amigos

E seus queridos pais

Quanto tempo se passou

Como eles foram especiais

 

Do mais velho entre nós

Nosso querido Baurú e seu Miranda

Ele nos foi um exemplo de albatroz

Ele dizia enquanto entre nós

Respeitem sua velha, ela quem manda

Tragam o pão da casa com garra

Sejam pais fortes e respeitem a farra

 

Do grande amigo Marcão e seu Jamil

Cuja gargalhada é quase a mesma, digo

Hoje ela soa da garganta do amigo

Seu Jamil olhava e falava como O engenheiro civil

Esteve presente naquela salona na Paulista

Onde juntos estudamos em prol de conquista

Seríamos melhores, esses pais nos diziam como pista

 

E seu José, do nosso querido amigo Goes

Quanto carinho aquele pai dedicou a nós

Seus sanduíches alimentaram nossas famintas almas

Quanta fome naquele quarto da edícula compartilhamos

Quanta vida ali passada enquanto estudamos

Às vezes simplesmente cantávamos para disfarçar

Relaxando, mas suportados por pais a nos amparar

 

Do meu querido pai Octavio

Sei que vocês tem poucas lembranças

Era o mais velho dos pais heranças

Aquele que nos olhava apenas à distância

 

Mas cá entre nós, amigos e hoje pais

Também somos muito do que nossos pais foram

Cada um de nós herdou bons princípios

Que deles nos brotaram como benefícios

 

Rendamos homenagens a nossos amados pais

Lembremos com emoções puras e sinceras

Não se tratam apenas de pobres quimeras

O que nos legaram, caros engenheiros, é concreto demais

Quinto Zili

Um comentário sobre “Nossos pais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s