Angústia no jardim, 236

Angústia

Tormenta da alma

Nefasta doença

Perde-se a calma

Perde-se a crença

 

No vaso do peito

Vazio da angústia vem

Queimar sem jeito

O que tem e o que não tem

 

Não sobra do ânimo quase um nada

Antes, durante e depois da queimada

O ser resiste em guinada

Saída demora a ser criada

 

A veste do espírito sofre doente

Acaba vitimada, sucumbe e não vence

Exagero da alma, sofrer te pertence

Saída recriar o jardim na mente

 

Renovar pensamentos não é panaceia

Trocar a terra do vaso do peito

Regar e adubar com nova ideia

Esforço moral, replantar, jardim refeito

Quinto Zili

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s