Calor

Um vulcão eclodindo

Suas brasas e lavas

O que vem do fundo da Terra

Calor máximo que se encerra

 

Muita pressão

Em compasso de espera

Vem à tona e supera

O momento da erupção

 

Como se vê na química

Calor é parte das reações

Elementos em atração dinâmica

Desprendem energias em profusões

 

Nas relações humanas do ambíguo

No intelecto do ser indivíduo

Calor como sensação indutiva

Amor, vergonha, onda de calor instintiva

 

Sem excesso o calor é alimento

No amor o máximo acalento

Na dor remédio ao sofrimento

Calor a nos tirar da indiferença e do relento

Quinto Zili

525

Maca

Da maca para a cama

Inversos corretos

Doente depois são

Curado em evolução

 

São muitas macas que usamos

Em todas vidas uma ao menos

Sozinhos em momentos de dor

Acompanhados, em enfermarias do Senhor

 

As camas, nossos leitos de descanso

Cada uma é um templo de paz

Em geral começam simples em berços

Terminam em duplas ou de casais

 

Camas e macas

Onde os corpos se recuperam

E onde as almas se realimentam

Enquanto matéria descansa, espírito avança

 

Amor carnal na cama

Sofrimento carnal na maca

Alma não se deita, só espreita

Espírito amadurece enquanto corpo envelhece

Quinto Zili

404

Aquilo

Esse ou aquele

Isso ou aquilo

Aquilo outro

Diferente daquilo

Encontrado noutro

Qualquer daqueles

Nosso ou deles

Doutra ou doutro

 

Qual é

Quais são

Essas coisas

Ou aquelas

Todas elas

Nossas ou delas

Delas e deles

Neles ou nelas

 

Aquilo era meu

Não era teu

Me deu

Me escolheu

Então chega

De discussão

Muita fala

Pouca ação

M. F.

930

João Gilberto

João Gilberto

Um violão vai chorar

Suas cordas vão lacrimar

O João do seu tocar

Suas mãos o vão deixar

 

Com toda sua bossa

A nova, todos sabemos de certo

A única e nossa

Do baiano brasileiro João Gilberto

 

Coisas que só o coração

Que cantavam ele e seu violão

À minha e muita geração

Numa nota só, no samba de meditação

 

As garotas de Ipanema vão chorar

O Gilberto, que foi João, foi com Deus morar

A Aquarela do Brasil vão tocar

E o pato desafinado no Corcovado vai ficar

 

Coisa mais linda a sua obra João

Brigas nunca mais te incomodarão

Chega de saudade, será só bim bom baião

Sua morte vai machucar demais a todo coração

Quinto Zili