Luxo, 473

Luxo

Pode parecer exagero

E mero supérfluo

O luxo como tempero

O contraponto do lixo

 

Sofisticar e ousar

Às vezes foi preciso

Para diferenciar

O apagado do elísio

 

Demonstrar na aparência

Pode ser necessário

Às vistas impressionar

O peixe vender sem o precário

 

Não foi esse o luxo de Jesus

O impusemos o lixo na cruz

Mas o que Ele veio nos trazer

Nada tinha a ver com esse tipo de crer

 

Ele nos trouxe sim o maior luxo

Nos mostrou Deus verdadeiro

Em todos os sentidos, no total fluxo

Até a beleza no significado daquele madeiro

 

Só nós mesmos que não fomos capazes

De entender o que o luxo para o Mestre representava

Fomos ignorantes pertinazes

Olhamos o exterior, menos o que realmente importava

Quinto Zili

Púlpito, 536

Púlpito

Acima do povo se encerra

Majestoso, ao orador donde se falar

Dizer maravilhas a seu público

Fazendo todos calar

 

Odes e provérbios

Estrofes e discursos emocionantes

Orgulhos da palavra

Pungindo tudo que veio antes

 

Público muito atento

Parecia um sábio a se expressar

Quase nada de entendimento

Palmas soaram ao terminar

 

Assim são os púlpitos

Públicos e impressionantes

Por si só tocam os súditos

Sabem que lá o orador será sempre marcante

 

Jesus porém não ia a púlpito nenhum

Pregou mesmo ao rés do chão

Falava sempre ao povão

Pareceu como Deus se passando por ser comum

Quinto Zili