Amores, 127

Amores

Meus amores, minha família

Minha casa, meu templo

Minha vida, uma ilha

Meu Deus, só de quem me atento

 

Verdade, não tenho nada

Nossa vida, mero palco

De sentimentos impregnada

O trampolim, do espírito o salto

 

Aquele que ama crê ter poder

Tudo pensa que tem e que é seu

Mas quando entende o limite do ser

Percebe que seu é também o meu

 

O amor verdadeiro não esconde a verdade

Sentimento bom que te eleva distante

Quando se tem pouco dele, sem vaidade

Se terá muito dele, no bem constante

 

Fique bem consigo mesmo e teus amores

Mas não tente posse dos que não são seus

Crie e liberte filhos e não tenhas dores

Pois tua só mesmo a paz que cria com Deus

Quinto Zili